Conjuntura Restaurantes, hotéis e saldos explicam primeira queda da taxa de inflação desde 2015

Restaurantes, hotéis e saldos explicam primeira queda da taxa de inflação desde 2015

Os dados revelados pelo INE confirmam que a taxa de inflação teve um valor negativo de 0,3% em julho comparativamente com o período homólogo. A quebra homóloga nos preços nos restaurantes e hotéis justificam a descida dos preços no consumidor.
Restaurantes, hotéis e saldos explicam primeira queda da taxa de inflação desde 2015
David Santiago 12 de agosto de 2019 às 11:48
A taxa de inflação foi de -0,32% em julho quando comparado com o mesmo período do ano passado, pode ler-se na nota publicada no site do Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Tendo em conta um arredondamento de uma casa décimal, a taxa de inflação em julho coincide com a leitura rápida revelada a 31 de julho.

Esta descida deve-se sobretudo à quebra dos preços praticados pela classe de restaurantes e hotéis, que em julho recuou 1,47% face ao mesmo mês de 2018. 

Este é assim o quinto mês consecutivo em que a taxa de inflação diminui, já que após quatro meses seguidos a abrandarem, a variação dos preços no consumidor é agora negativa. Desde fevereiro de 2015 que a taxa de inflação não registava uma evolução negativa.  

De acordo com o INE, também a redução de preços na classe do vestuário, nomeadamente numa época de promoções de fim de época, bem como a descida dos preços da eletricidade e gás natural na sequência da alteração à taxa de IVA aplicada ao setor são fatores que ajudam a explicar este comportamento. No caso do vestuário, a quebra homóloga registada em julho fixou-se nos 5,83%.

A taxa de inflação no sub-grupo de hotéis, motéis, pousadas e serviços de alojamento similares apresentou uma variação homóloga de -0,1%, uma descida expressiva (de 7 pontos percentuais) em relação a junho.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI