Finanças Públicas Contas do Estado melhoram em 231 milhões de euros até Fevereiro

Contas do Estado melhoram em 231 milhões de euros até Fevereiro

As contas do Estado registaram um excedente de 258 milhões nos dois primeiros meses. As receitas subiram 4,7%, enquanto que as despesas só 2,8%.
Contas do Estado melhoram em 231 milhões de euros até Fevereiro
Tiago Silva Dias/Correio da Manhã
João D'Espiney 27 de março de 2018 às 16:36

As contas do Estado registaram um excedente de 258 milhões de euros no final dos primeiros dois meses do ano, o que representa uma melhoria de 231 milhões em relação ao período homólogo de 2017, de acordo com a síntese de execução orçamental de Fevereiro.

 

O comunicado que o Ministério das Finanças acaba de divulgar destaca que este resultado é explicado por um crescimento da receita (4,7%) superior ao da despesa (2,8%), revelam as Finanças, salientando que "o comportamento da receita acompanha a evolução favorável da actividade económica e do emprego" e o da despesa "cresce em linha com os compromissos assumidos no OE 2018".

 

Os dados do Ministério indicam que a receita fiscal aumentou 8,1% até Fevereiro, tendo a receita líquida do IVA aumentado 5,5%, acompanhada pelo crescimento no IRS e IRC.


"A receita beneficiou ainda do comportamento do mercado de trabalho, visível no forte crescimento de 7,6% das contribuições para a Segurança Social", revela o comunicado.

 

Do lado da despesa, as Finanças salientam que o aumento de 2,8% "é mais reduzido devido ao fim do pagamento do subsídio de Natal em duodécimos e por ainda não se ter materializado integralmente o efeito do descongelamento das carreiras".

 

A despesa com pensões da Segurança Social diminui 1% mas se for corrigido o efeito do subsídio de natal, a despesa terá crescido cerca de 4,3%.

 

"Esta evolução deve-se ao facto de em 2018, e pela primeira vez na última década, a grande maioria dos pensionistas ter aumentos superiores à inflação e de se ter verificado o aumento extraordinário de pensões em Agosto de 2017", explica o Ministério.

 

O comunicado destaca também o crescimento de 4,3% da despesa do Serviço Nacional de Saúde, um valor "bastante acima do orçamentado", e o aumento das despesas com aquisição de bens e serviços e no investimento público.

 

As Finanças revelam ainda a redução do stock da dívida não financeira em 87 milhões de euros e o abrandamento do crescimento dos pagamentos em atraso, apesar de terem registado uma subida homóloga de 291 milhões de euros.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI