Finanças Públicas Dívida pública baixa 187 milhões de euros em julho

Dívida pública baixa 187 milhões de euros em julho

O valor absoluto da dívida pública na ótica de Maastricht baixou ligeiramente em julho. Continua no nível mais baixo deste ano.
Dívida pública baixa 187 milhões de euros em julho
Lusa
Tiago Varzim 02 de setembro de 2019 às 10:52
A dívida pública na ótica de Maastricht, a que interessa a Bruxelas, baixou 187 milhões de euros em julho deste ano para os 251 mil milhões de euros. Este é o segundo mês consecutivo em que o endividamento público diminui. Os dados foram revelados esta segunda-feira, 2 de setembro, pelo Banco de Portugal.

De acordo com os dados disponibilizados pelo banco central, foi nos títulos de curto prazo e nos empréstimos de curto prazo que o endividamento público baixou em julho. Já os títulos de longo prazo e os valores em numerário e em depósitos subiram nesse mês. Em julho, o IGCP, a agência que gere a dívida pública, foi ao mercado para se financiar a 10 e 26 anos num montante total de 1.023 milhões de euros.

"Para esta diminuição contribuiu essencialmente a redução dos títulos de dívida", concretiza o BdP na nota de informação estatística. Em junho, a dívida pública baixou cinco mil milhões de euros dado que foi amortizada uma linha de obrigações.

Em percentagem do PIB, a dívida pública fechou o segundo trimestre (junho de 2019) com um rácio de 122,5%, ligeiramente acima dos 122,2% do PIB que o Banco de Portugal tinha revelado a 22 de agosto. Ainda assim, este continua a ser o valor mais baixo desde o primeiro trimestre de 2012.

Os valores da dívida pública, tanto o rácio como o valor absoluto, foram afetados no mês de agosto por uma mudança metodológica do Eurostat que implicou um aumento do endividamento público nesta ótica de Maastricht em toda a série histórica, ainda que esse valor já fosse tido em conta como dívida do Estado.

O Governo pretende baixar o rácio da dívida pública para os 118,6% do PIB, mas já admitiu rever essa meta numa próxima oportunidade dada que a mudança nas regras europeias tornou mais difícil atingir esse objetivo. Em vez de ter de reduzir 2,9 pontos percentuais, o Governo tem agora de reduzir cinco pontos percentuais, quase o dobro do esforço.

O Banco de Portugal revela ainda que os ativos em depósitos das administrações públicas - a chamada "almofada financeira" - diminuíram 900 milhões de euros em julho face a junho, tendo fixado nos 16,5 mil milhões de euros.

Outro indicador importante para a dívida pública é o seu custo. De acordo com os dados do IGCP, o custo da dívida emitida até julho atingiu um novo mínimo histórico: 1,3%. 

(Notícia atualizada às 11h17)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI