Função Pública Finanças suspendem inquérito polémico à Função Pública

Finanças suspendem inquérito polémico à Função Pública

O Ministério das Finanças suspendeu o inquérito à Função Pública que questionava funcionários sobre o desempenho deste Governo.
Finanças suspendem inquérito polémico à Função Pública
Duarte Roriz
Tiago Varzim 08 de agosto de 2019 às 12:56

O Governo determinou esta quinta-feira, 8 de agosto, a suspensão "temporária" de um polémico inquérito enviado aos funcionários públicos, adiando o seu preenchimento para depois das eleições. O Ministério das Finanças justifica a decisão de suspender com o período pré-eleitoral, o qual pode comprometer a fiabilidade dos resultados.


A notícia tinha sido avançada pelo Observador esta quarta-feira, 7 de agosto: a Direção-Geral da Administração e Emprego Público enviou um inquérito a mais de 500 mil funcionários públicos com o objetivo de perceber as suas motivações e desmotivações. Mas há perguntas que vão mais além, incluindo uma avaliação às políticas do atual e anterior Governo no que toca aos salários e às progressões na carreira.

Em causa estão perguntas como "o período da Troika influenciou negativamente a minha motivação no trabalho" ou "a reposição dos salários afetou positivamente a minha motivação no trabalho". Em resposta ao jornal online, a DGAEP disse que estas perguntas tinham surgido pelos funcionários nas sugestões de um questionário anterior semelhante realizado em 2015. O objetivo seria comparar e medir a evolução das respostas, mas há perguntas que não foram feitas há quatro anos.

Agora o Ministério das Finanças vem suspender o preenchimento do questionário, admitindo que "a elevada visibilidade do assunto em período pré-eleitoral pode comprometer a fiabilidade dos resultados, inviabilizando todo o inquérito e a comparabilidade com os resultados obtidos em 2015".

"O Governo determinou a suspensão temporária do inquérito, e que o preenchimento dos questionários e as fases subsequentes sejam retomados após as eleições legislativas marcadas para dia 6 de outubro", revela em comunicado enviado às redações. O prazo de preenchimento do inquérito terminaria a 30 de setembro, a dias das eleições. 

No comunicado o Governo explica que "tomou conhecimento esta semana do lançamento da segunda edição de um inquérito sobre questões motivacionais promovido pela DGAEP – Direção-Geral da Administração e do Emprego Público" e que "aborda um conjunto de questões relacionadas com a motivação no trabalho, nomeadamente decorrentes da ação governativa".

Segundo disse a DGAEP ao Observador, este questionado foi preparado "pela equipa de investigadores (e docentes universitários) que concebeu e analisou o instrumento anterior, sendo suportado na literatura científica especializada".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI