Política Rio espera que número de militantes com quotas pagas "suba bastante" até dezembro

Rio espera que número de militantes com quotas pagas "suba bastante" até dezembro

O líder do PSD, Rui Rio, reconheceu hoje que o número de militantes do partido com quotas pagas é "relativamente baixo", mas espera que esse valor "suba bastante" até 22 de dezembro, quando são fechados os cadernos eleitorais.
Rio espera que número de militantes com quotas pagas "suba bastante" até dezembro
Tiago Petinga/Lusa
Lusa 17 de novembro de 2019 às 20:49
"O universo eleitoral há dois anos era de 70 mil e votaram 40 mil. Neste momento, estamos a rondar os 20 mil. Espero que até 22 de dezembro, mesmo que não se chegue aos 40, que se suba bastante. Mas isso vai dar a fotografia real dos militantes realmente ativos e com vontade dentro do PSD. Vai dar a realidade, aquilo que o PSD efetivamente é e não vale a pena tapar o sol com a peneira", disse Rui Rio aos jornalistas.

O presidente do PSD falava no final de um encontro com a estrutura nacional de candidatura à liderança do partido que decorreu numa unidade hoteleira em Santa Maria da Feira, a que os jornalistas não puderam assistir.

Rui Rio lembrou que foram introduzidas novas regras no partido para acabar com a "vigarice" que o próprio diz que existia no passado, quando havia "um ou dois ou três ou quatro a pagar a quota de mil, duas mil, três mil ou quatro mil pessoas".

"Quando me candidatei há dois anos disse que isto era inadmissível e que tinha de ser alterado e, portanto, temos novas regras. Se o universo é reduzido é porque está, neste momento, vedada a possibilidade de se fazer aquilo que se fazia no passado. Cabe-nos a todos nós sensibilizar os outros para pagarem a sua quota e poderem votar", disse Rui Rio.

O presidente do PSD referiu ainda que este é um assunto importante, mas recusa voltar atrás nas regras que foram introduzidas e "permitir outra vez a pouca vergonha que existiu durante anos e anos".

"Nós queremos que o dinheiro entre, mas que entre de uma forma clara e limpa em que cada um paga a sua quota. Pode pagar a quota da mulher e do filho, mas não vai pagar a quota de 200 ou 300 pessoas, porque isso não é bonito e isso engana. Nós queremos ter o universo eleitoral real, aqueles que verdadeiramente gostam do partido, pagam a sua quota e efetivamente militam", afirmou.

As eleições diretas para a escolha do presidente do PSD foram agendadas para 11 de janeiro e o congresso nacional realiza-se entre 07 e 09 de fevereiro, em Viana do Castelo.

Até ao momento, há três candidatos: Rui Rio, o atual presidente; Luís Montenegro, ex-líder parlamentar; e Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara de Cascais, distrito de Lisboa, que faz a apresentação oficial da sua candidatura na segunda-feira em Lisboa.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI