Política Rodrigues dos Santos: "Não vamos ser o Bloco de Esquerda da direita"

Rodrigues dos Santos: "Não vamos ser o Bloco de Esquerda da direita"

Num discurso inflamado e marcadamente ideológico, Francisco Rodrigues dos Santos arrancou o maior aplauso até ao momento no congresso do CDS.
Rodrigues dos Santos: "Não vamos ser o Bloco de Esquerda da direita"
Lusa 25 de janeiro de 2020 às 16:14

O candidato à liderança do CDS Francisco Rodrigues dos Santos arrancou hoje, no 28.º congresso, em Aveiro, a maior ovação dos delegados, com um discurso inflamado, em defesa de um "partido popular interclassista" e com valores de direita.

"Não vamos ser o Bloco de Esquerda da direita", prometeu Rodrigues dos Santos, que recebeu a primeira salva de palmas de parte do congresso quando disse que estava ali "completamente solto e completamente livre". "Que não tem padrinhos, não tem donos, não devem nada a ninguém nem é sucessor de ninguém", afirmou.

E avisou que é preciso "impedir a falência da identidade" do CDS, que não é um partido abrangente ("catch all") ou um "objeto político não identificado". "Cada hesitação nossa é uma perturbação para os nossos eleitores", avisou, ao reafirmar a "matriz democrata-cristã" e um partido "de compromisso e europeu".


Antes e depois do discurso, o líder da Juventude Popular que também é candidato ao partido, foi aplaudido de pé por muitos congressistas, mais do que os outros candidatos, Abel Matos Santos, João Almeida, Filipe Lobo d’Ávila e Carlos Meira.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI