Banca & Finanças BCP terá de constituir maior reserva adicional de capital em 2022

BCP terá de constituir maior reserva adicional de capital em 2022

As reservas adicionais de capital que os seis maiores bancos portugueses terão de fazer em 2022 mantêm-se, à exceção do BCP. O Banco de Portugal aumentou a imposição da reserva de fundos próprios do banco de 0,75% para 1,00%.
Rita Atalaia 29 de novembro de 2019 às 17:42
Os seis maiores bancos nacionais vão ter de constituir uma reserva adicional de capital entre 0,25% e 1% em 2022. São os mesmos valores definidos para 2021, mas há uma exceção: o BCP. O banco liderado por Miguel Maya terá de avançar com um reforço destas reservas que servem para absorver impactos de choques externos, de acordo com um comunicado enviado esta sexta-feira pelo Banco de Portugal.

A reserva de fundos próprios, imposta às instituições financeiras identificadas como tendo uma importância sistémica, é medida através de uma percentagem do montante total dos ativos ponderados pelo risco (valor dos ativos de um banco descontado dos riscos que estes enfrentam, como o risco de mercado).

Esta reserva aplica-se à Caixa Geral de Depósitos (CGD), BCP, LSF Nani Investments (o veículo através do qual o fundo norte-americano Lone Star controla o Novo Banco), BPI, Santander Totta e Caixa Económica Montepio Geral.

De acordo com a reavaliação anual da lista de instituições identificadas como "outras instituições de importância sistémica" (na sigla inglesa O-SII) e da respetiva reserva de fundos próprios, publicada esta sexta-feira, as reservas do BCP terão de aumentar de 0,750% em 2021 para 1,000% em 2022. 

"O Banco de Portugal reviu ainda o requisito de reserva de O-SII exigido ao Banco Comercial Português S.A., de 0,75% para 1,00%, na sequência do aumento da sua importância sistémica para o sistema financeiro português. Perante esta alteração, o Banco de Portugal concedeu ao Banco Comercial Português S.A. um ano adicional para cumprir com o acréscimo de 25 pontos base, ou seja, a reserva de O-SII deverá estar constituída na íntegra a partir de 1 de janeiro de 2022", refere o comunicado do Banco de Portugal. 

O banco iguala, assim, o mesmo valor do banco liderado por Paulo Macedo, que se mantém sem alterações face a 2021. Já nos restantes casos, o Santander Totta, a Nani Investments e o Banco BPI mantêm os 0,500%, enquanto as reservas do Banco Montepio continuarão a ser de 0,250% em 2022. 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI