Banca & Finanças Constâncio vai à comissão da CGD a 18 de junho

Constâncio vai à comissão da CGD a 18 de junho

O antigo governador do Banco de Portugal vai ser novamente confrontado pelos deputados na comissão parlamentar de inquérito à CGD no dia 18 de junho. No dia seguinte irá Teixeira dos Santos.
Constâncio vai à comissão da CGD a 18 de junho
Mariline Alves
Rita Atalaia 11 de junho de 2019 às 12:43
Vítor Constâncio vai ser novamente ouvido pelos deputados da comissão parlamentar de inquérito à gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) no dia 18 de junho. A audição do ex-ministro das Finanças Teixeira dos Santos também já está agendada para a mesma semana.

Enquanto o antigo governador do Banco de Portugal irá à comissão na parte da manhã, Pedro Duarte Neves, ex-vice-governador do regulador, irá responder aos deputados na parte da tarde. 

Isto depois de no dia anterior, a 17 de junho, Faria de Oliveira e Cabral dos Santos irem à comissão de inquérito. Já no dia 19 será a vez de Teixeira dos Santos comparecer na comissão, naquela que poderá ser a última audição desta iniciativa. 

Vítor Constâncio regressa ao Parlamento depois de o jornal Público ter avançado que o ex-governador não disse aos deputados presentes na sua audição no Parlamento que autorizou Joe Berardo a financiar-se junto da CGD para comprar ações do BCP, em 2007. Contraiu assim uma dívida de 350 milhões para deter até 9,99% do banco que, 12 anos depois, continua por pagar.

A autorização aconteceu nesse ano, de acordo com o jornal Público, quando Constâncio (então governador do Banco de Portugal) autorizou o pedido de Berardo. Num documento a que o jornal teve acesso, lê-se que "o conselho de administração do BdP, em sessão de 21 de agosto de 2007, deliberou não se opor à detenção pela Fundação Berardo" de uma participação qualificada "superior a 5% e inferior a 10% no capital do BCP e inerentes direitos de voto" - ou seja, é descrito o objetivo do crédito. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI