Banca & Finanças Factoring em Portugal cresce quase 10% até setembro

Factoring em Portugal cresce quase 10% até setembro

O setor do factoring regista um crescimento de 9,7% nos primeiros nove meses do ano para um valor de quase 25 mil milhões de euros. Leasing imobiliário e renting estão, no entanto, em queda.
Factoring em Portugal cresce quase 10% até setembro
Russell Boyce/Reuters
Pedro Curvelo 09 de dezembro de 2019 às 13:03

O setor do factoring regista um crescimento de 9,7% nos primeiros nove meses do ano para um valor de quase 25 mil milhões de euros, indica esta segunda-feira, em comunicado, a Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting (ALF).

Entre janeiro e setembro, o segmento do factoring, em que uma empresa (o factor) assume o crédito da sociedade aderente e o cobra ao devedor, regista a nível doméstico um total de créditos tomados de cerca de 12 mil milhões de euros, o que traduz uma subida homóloga de 12,5%, assinala a associação.

Já o factoring à importação regista um aumento de 4,6%, para cerca de 148 milhões de euros, enquanto o factoring à exportação apresenta uma produção de 3,3 mil milhões de euros, o que corresponde a uma quebra de 3,2%, que a ALF justifica com a "tendência de  desaceleração das exportações que se tem sentido no mercado nacional".

A associação destaca também o confirming, serviço em que a instituição de factoring efetua o pagamento aos fornecedores do seu cliente, podendo estes solicitar a antecipação do mesmo, que apresenta um crescimento de 11,8%, para um volume estimado superior a nove mil milhões de euros.

Assim, o setor do factoring cresceu 9,7% nos primeiros nove meses do ano face a igual período de 2018, tendo as instituições associadas da ALF tomado 24,7 mil milhões de euros em faturas.

Leasing automóvel cresce 3,3%

No setor do leasing, o leasing mobiliário manteve-se estável face aos primeiros nove meses do ano passado, num valor de quase 1,7 mil milhões de euros. Aqui, o leasing de viaturas cresceu 3,3%, para 1,1 mil milhões de euros, mas o leasing de equipamentos sofreu uma quebra de 8,5%.

Já a locação financeira imobiliária apresenta uma produção estimada de 610 milhões de euros, o que traduz um decréscimo homólogo de 25,3%. A ALF considera que esta evolução está "parcialmente relacionada com a entrada em vigor de novas legislações e do adicional do IMI, que teve um impacto relevante no ieasing imobiliário".

Renting recua acompanhando retração do mercado automóvel

O setor do renting regista uma produção de 516,7 milhões de euros e 25.642 viaturas. Estes valores traduzem uma descida de 3,7% em termos de valor e de 6,8% no número de viaturas.

Esta "tendência de decréscimo encontra-se alinhada com a retração no setor automóvel em geral", considera a associação.

Ainda assim, a ALF destaca que "a frota total gerida pelas rentings totalizou 119.410 viaturas no valor de 1,8 mil milhões de euros, representando um crescimento de 6,1% e de 8,6%, respetivamente".

O presidente da ALF, Alexandre Ferreira Santos, defende, citado no comunicado, que "estes resultados, em geral, indicam que o setor do financiamento especializado continua a acompanhar as tendências da economia portuguesa e apresenta-se como um suporte essencial à competitividade das empresas e à economia em geral".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI