Comércio Sonae coloca a fasquia no preço máximo para encaixe de 358,6 milhões

Sonae coloca a fasquia no preço máximo para encaixe de 358,6 milhões

A Sonae diz que espera ter um encaixe de 358,6 milhões, pressupondo a colocação no intervalo máximo do preço. Despesas de quase 15 milhões.
Sonae coloca a fasquia no preço máximo para encaixe de 358,6 milhões
Ricardo Castelo
A Sonae estima que a receita bruta da oferta seja de 358,6 milhões de euros, "assumindo o valor mais elevado do intervalo de preço da oferta", lê-se no prospecto divulgado esta quinta-feira, 4 de Outubro.

Este é o valor da colocação de 217,36 milhões de acções, ou 21,736%, sem considerar as acções adicionais (até ao limite de 25%) que podem vir ainda a ser colocadas nos institucionais. 

Se considerado o valor máximo do intervalo de preço, e também essa colocação adicional que pode ser definida até 18 de Novembro, o encaixe máximo pode mesmo atingir os 412 milhões de euros.

No preço mínimo o encaixe pode ser de 304 milhões e de 349,9 milhões respectivamente pelos 21,736% ou 25%.

No prospecto a Sonae estima, por outro lado, que as despesas com a oferta que terá de incorrer atinjam os 14,6 milhões de euros. A que se juntam as despesas de admissão. No conjunto, as despesas totais deverão atingir 17,8 milhões de euros, "incluindo as taxas de 'underwriting' e as comissões relativas às acções da oferta vendidas pelo oferente".

O CaixaBI e o Millennium bcp são os intermediários financeiros responsáveis pela oferta de retalho. O Barclays, o BNP Paribas e o Deutsche Bank actuam como coordenadores globais da oferta, a que se junta o Santander, CaixaBank e Baixa BI na oferta institucional. O Haitong Bank, a JB Capital Markets e o Mediobanca são co-lead managers.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI