Banca & Finanças BCP e Novo Banco vendem posições na Global Media e deixam de ter participações em grupos de comunicação

BCP e Novo Banco vendem posições na Global Media e deixam de ter participações em grupos de comunicação

Os bancos detinham cada um uma participação de 10,5% na dona do Diário de Notícias, Jornal de Notícias e TSF, entre outros títulos.
BCP e Novo Banco vendem posições na Global Media e deixam de ter participações em grupos de comunicação
Miguel Baltazar
O BCP vendeu a totalidade da posição que detinha na Global Media, anunciou a instituição esta sexta-feira, 25 de outubro, em comunicado enviado às redações. Com esta operação, o banco deixa de ter participação em quaisquer grupos de comunicação.

O Novo Banco também alienou a totalidade da participação na dona do DN e JN, que também era de 10,5%, apurou o Negócios. Contactada, fonte oficial afirmou que o Novo Banco não comenta negociações em curso. 

O BCP detinha, até agora, uma posição de 10,5% no capital do grupo presidido por Daniel Proença de Carvalho, que tem títulos como o Diário de Notícias, Jornal de Notícias, Dinheiro Vivo e TSF, entre outros. O valor da operação não é divulgado e, questionado pelo Negócios, o banco não forneceu esta informação. A participação foi vendida em partes iguais a dois acionistas de referência da Global Media.

Esta venda acontece numa altura em que o BCP tem estado a desfazer-se dos negócios que não são considerados estratégicos para a atividade. "Esta transação insere-se na estratégia do banco de sair de setores e negócios não-core, mantendo o seu enfoque na atividade de banca comercial e de relação", indica o comunicado.

A Global Media surgiu em 2014, no âmbito do processo de reestruturação da Controlinveste, "holding" através da qual o empresário Joaquim Oliveira controlava os títulos de comunicação. Foi nesse ano, após o colapso da Portugal Telecom (PT) e com uma quebra de receitas significativa, que a Controlinveste entrou em incumprimento junto dos bancos, com prejuízos de milhões de euros.

Já em fevereiro deste ano, a Controlinveste apresentou um pedido de insolvência, com dívidas no valor de 548 milhões de euros. Os principais credores são o BCP, com 406 milhões de euros, e o Novo Banco, com outros 124 milhões, tal como avançou o Correio da Manhã na altura.

Até aqui, o maior acionista da Global Media é a macaense KNJ Global, de Kevin Ho (sobrinho do antigo chefe do governo macaense Edmund Ho), que detém 30% do grupo. O empresário José Reis Soaeiro controla outros 29,75% da empresa, direta e indiretamente, através da Grandes Notícias. O BCP e o Novo Banco detinham, cada um, 10,5% da Global Media, enquanto a Controlinveste tinha outros 19,3%. Fica por esclarecer qual dos acionistas reforçou a posição e como fica agora a estrutura acionista.

Notícia atualizada às 18h16 com mais informação.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI