Banca & Finanças CGD formaliza venda do banco em Espanha ao Abanca

CGD formaliza venda do banco em Espanha ao Abanca

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) concluiu hoje definitivamente a venda da sua filial espanhola ao Abanca por 364 milhões de euros, numa cerimónia em Madrid.
CGD formaliza venda do banco em Espanha ao Abanca
Lusa Rita Atalaia 14 de outubro de 2019 às 08:28

O presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos, Paulo Macedo, e o presidente do Abanca, Juan Carlos Escotet Rodríguez, assinalaram esta segunda-feira, na sede do banco espanhol, o fim do processo de compra/venda do Banco Caixa Geral, de acordo com o comunicado enviado à CMVM.

 

Da parte da tarde realiza-se em Vigo, na Galiza, uma assembleia-geral extraordinária de acionistas da filial espanhola do banco português para nomear a nova administração do banco que passa a ser propriedade do Abanca.

 

A transferência da propriedade da empresa culmina um processo iniciado em novembro de 2018, quando o Governo português escolheu o Abanca para a venda da filial da CGD.

 

A assembleia-geral extraordinária de hoje foi convocada depois de, a 09 de setembro, o Banco Central Europeu (BCE) ter autorizado a operação.

 

De acordo com previsões do Abanca, a integração informática, jurídica e financeira das duas entidades deverá ser realizada "no primeiro trimestre de 2020".

 

A entidade bancária espanhola revelou que através da integração do Banco Caixa Geral, o Abanca irá adicionar um volume de negócios de 7.000 milhões de euros e 131.000 clientes.

 

A instituição pagou 364 milhões de euros pela aquisição de 99,79% da filial espanhola, o que teve um impacto positivo de 135 milhões nos resultados do primeiro semestre e nos capitais consolidados da CGD.

De acordo com o banco estatal, a alienação do BCG teve um impacto positivo global de cerca de 110 pontos base no rácio CET1 consolidado da CGD, sendo que 30 pontos base já foram refletidos nas contas consolidadas de junho de 2019, em resultado da valorização estimada desta participação. Já os restantes 80 pontos base resultam da desalavancagem desta participação.

Acordo de cooperação para salvaguardar clientes
"A CGD e o ABANCA formalizaram também um acordo de cooperação comercial, o qual define os termos em que as duas partes irão colaborar em várias áreas de negócio, nos segmentos de Empresas e de Particulares com atividade no mercado Ibérico e nos mercados internacionais onde os dois Grupos bancários detêm presenças diretas", adiantam ainda as duas entidades no comunicado enviado à CMVM. 

Um acordo que "visa assegurar que a migração da atual carteira de clientes Particulares e Empresas do BCG para a esfera do ABANCA respeita um período de transição no qual se manterão os níveis de serviço, atendimento preferencial e oferta comercial para os clientes, para além de formalizar os termos futuros da colaboração comercial entre as duas instituições".

 

(Notícia atualizada às 11:36 com o comunicado enviado à CMVM.)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI