Energia Mexia aponta "disputa interessante" por ativos que EDP quer vender perto do final do ano

Mexia aponta "disputa interessante" por ativos que EDP quer vender perto do final do ano

Os ativos, no valor de 2 mil milhões, que a EDP anunciou querer vender na estratégia que divulgou em março, ainda estão do lado da elétrica portuguesa. Contudo, falta pouco tempo para concluir um processo que conta com candidatos "interessantes", na avaliação de Mexia.
Mexia aponta "disputa interessante" por ativos que EDP quer vender perto do final do ano
Negócios 13 de dezembro de 2019 às 10:05

O CEO da EDP, António Mexia, reforçou que a empresa pretende encaixar 2 mil milhões de euros com a venda de barragens na Península ibérica até ao final do ano ou, o mais tardar, no princípio do ano que se avizinha. É esse o prazo para escolher uma das propostas em cima da mesa que, considera, surgem numa dinâmica de concorrência "muito interessante".

"Há concorrência e uma concorrência muito interessante. Vamos eleger entre as distintas ofertas no final deste ano ou no princípio do ano que aí vem", afirma António Mexia, numa entrevista ao jornal espanhol Cinco Dias, publicada esta sexta-feira, 13 de dezembro. O gestor foi confrontado com rumores de que apenas a Iberdrola esteja na corrida, uma hipótese que negou desta forma.

Em março deste ano, a EDP apresentou no plano estratégico que pretendia investir um total de 12 mil milhões num ano: 8.000 milhões em renováveis, 4.000 milhões em rotação de ativos e 2.000 milhões em venda de capacidade na península ibérica.

Na mesma entrevista, Mexia sublinha que "o importante é ter uma estratégia" e refere que a da elétrica "é reduzir a exposição na Península Ibérica". Afirma querer "diversificar o risco" uma vez que este sai aumentado quando a "capacidade está muito concentrada numa região", nomeadamente, no norte de Portugal. Contudo, diz-se atento às oportunidades no mercado Espanhol. "Estaremos atentos (…) sempre tendo em conta que o balanço equilibrado e o dividendo são sagrados", explica.

Verde mesmo sem toda a Renováveis

Face à observação do Cinco Dias de que a elétrica é das raras empresas no setor que não integrou o negócio de renováveis – no sentido em que a EDP possui apenas 83%, ao invés da totalidade, do capital da EDP Renováveis – Mexia diz que essa "já não é uma prioridade" para o grupo EDP. "Não vamos comprar ações com o dinheiro que podemos dedicar a projetos. Se os investidores quiserem ficar, para nós não há problema", explica o gestor.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI