Redes Sociais Criador do “Big Brother” processa Facebook por publicidade fraudulenta de bitcoin

Criador do “Big Brother” processa Facebook por publicidade fraudulenta de bitcoin

O empresário milionário está a processar o Facebook devido a uma onda de publicidade falsa que tem associado celebridades holandesas à bitcoin. O criador do “Big Brother” é um dos afetados e não quer o seu nome associado às criptomoedas.
Criador do “Big Brother” processa Facebook por publicidade fraudulenta de bitcoin
Reuters
Negócios 05 de junho de 2019 às 18:35

John de Mol, fundador do reality show Big Brother e milionário holandês, fez uma queixa em tribunal contra a empresa de Mark Zuckerberg, acusando o dono das redes sociais Facebook e Instagram de falhar em travar a publicidade fraudulenta com bitcoin. O empresário, que é co-fundador da Endemol, considera que a associação a este tipo de publicidade é danosa para a sua imagem.

 

As publicidades "falsas e fraudulentas" que circulam no Facebook e no Instagram sugerem que John de Mol apoia o investimento em esquemas de bitcoin, afirmou em tribunal a advogada do milionário, Jacqueline Schaap, citada pela Bloomberg.

 

Esta "ligação" de de Mol ao mundo das criptomoedas remonta a outubro de 2018, altura em que o seu nome surgiu numa publicidade que dizia que o empresário desenvolveu um software para a bitcoin, oferecendo aos investidores a possibilidade de participarem num investimento que daria elevado retorno. Alguma desta publicidade tem por trás uma forma de transferir dinheiro para um fundo especial.

 

A queixa defende que a reputação do empresário está a ser lesada porque as pessoas que respondem a estas publicidades, fazendo investimentos, perdem dinheiro. E o Facebook não atuou de forma apropriada para que as publicidades fossem removidas nem revelou ao empresário quem está por detrás deste esquema. A advogada salienta que as publicidades continuam a correr nas redes sociais, enganando pessoas.  

 

O advogado do Facebook esclareceu que é difícil identificar a origem dos sites em causa, porque estão sempre a mudar. "Todas as publicidades foram removidas e os anunciantes foram banidos", explicou o advogado Jens van den Brink, adiantando que, contudo, os "burlões desenvolvem as suas práticas."

 

"O Facebook partilha a frustrações de de Mol sobre a publicidade falsa", acrescentou o responsável.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI