Aviação Espaço aéreo militar de Sintra vai ser libertado para melhorar operação no aeroporto de Lisboa

Espaço aéreo militar de Sintra vai ser libertado para melhorar operação no aeroporto de Lisboa

O Governo considera que o entendimento a que a Força Aérea e a NAV Portugal chegaram esta sexta-feira vai melhorar a operação no aeroporto Humberto Delgado, em termos de navegação aérea, já no próximo Verão IATA 2020.  
Espaço aéreo militar de Sintra vai ser libertado para melhorar operação no aeroporto de Lisboa
Bruno Colaço
Maria João Babo 28 de junho de 2019 às 18:24

A Força Aérea Portuguesa e a NAV Portugal chegaram esta sexta-feira a um entendimento sobre a libertação de espaço aéreo militar de Sintra para a atividade civil, através da celebração de uma nova carta de operações entre estas duas entidades, anunciou o Ministério das Infraestruturas em comunicado.

Segundo explica, esta nova carta de operações viabilizará a implementação de novos procedimentos de navegação aérea na aproximação a Lisboa, com o designado sistema 'point merge', "favorecendo uma eficiente sequenciação das aeronaves nas chegadas".

O gabinete de Pedro Nuno Santos considera, assim, que "estão reunidas condições para que, do lado da navegação aérea, a operação no Aeroporto Humberto Delgado tenha melhorias significativas já no próximo Verão IATA 2020, com reflexos nos movimentos controlados".  

Na mesma nota, o Governo reconhece o esforço e o empenho da Força Aérea Portuguesa e da NAV Portugal no trabalho que tem sido desenvolvido no processo de expansão da capacidade aeroportuária da região de Lisboa e, em particular, na  gestão dos fluxos de aeronaves militares e civis, sem comprometer a atividade de cada uma das instituições.

"É, assim, dado mais um passo decisivo para aumentar a capacidade aeroportuária com o projeto de infraestruturas de ampliação do Aeroporto Humberto Delgado e de construção de um novo aeroporto complementar na Base Aérea n.º 6, no Montijo", diz o Ministério das Infraestruturas.

Em maio passado, o secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda, tinha autorizado, por despacho, o encerramento definitivo da pista secundária do aeroporto Humberto Delgado (a pista 17/35), explicando tratar-se de uma decisão indispensável para avançar nas obras do aeroporto da capital. O espaço que atualmente ocupa a pista será utilizado para construção de mais estacionamentos para aviões e mais espaço para a sua circulação.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI