Turismo & Lazer Turismo volta a abrandar em setembro mas 2019 deverá voltar a ser recorde

Turismo volta a abrandar em setembro mas 2019 deverá voltar a ser recorde

O mês de setembro costuma ser marcado por um abrandamento no turismo. E este ano não foi exceção. Houve menos hóspedes do que no mês de agosto, mas continua a representar recordes, tendo sido o melhor setembro desde que há dados.
Turismo volta a abrandar em setembro mas 2019 deverá voltar a ser recorde
Pedro Simões
Sara Antunes 15 de novembro de 2019 às 12:01

Por regra, o mês de agosto é o mais forte ao nível do turismo em Portugal. E 2019 não escapará deste contexto. Os dados do turismo de setembro mostram um abrandamento neste setor, à semelhança do que acontece historicamente.

 

Assim, Portugal registou mais de 2,87 milhões de hóspedes em Portugal no mês de setembro. Um valor que representa um crescimento homólogo de 5,2%, mas uma quebra de 13% face ao mês de agosto, de acordo com os dados divulgados esta sexta-feira, 15 de novembro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Apesar deste abrandamento, o mês de setembro deste ano foi o mais forte, ao nível do número de hóspedes desde pelo menos 2013 (ano em que remontam os dados do INE).

 

E no acumulado do ano, Portugal já recebeu mais de 21 milhões de turistas, um número que abre a porta a um novo recorde, tal como antecipado em setembro pela então secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho. "Se mantivermos este ritmo de crescimento, até ao final do ano, chegaremos aos 27 milhões de turistas em Portugal, depois de termos chegado aos 25 milhões em 2018", afirmou Ana Mendes Godinho, em declarações à Lusa, no âmbito do Dia Mundial do Turismo.

 

Esta queda face a agosto foi observada quer entre os residentes em Portugal, quer entre os estrangeiros. O número de hóspedes residentes em Portugal totalizou, em setembro, 1,04 milhões, mais 3,7% do que há um ano, mas menos do que os 1,36 milhões de agosto. Entre os estrangeiros houve cerca de 1,84 milhões de hóspedes, mais 6% do que em 2018, mas menos do que os 1,9 milhões de agosto.

 

"Em setembro de 2019, a estada média (2,64 noites) reduziu-se 1,8%", destaca o INE, enquanto a "taxa líquida de ocupação (57,1%) recuou 1,9 pontos percentuais."

 

Ainda assim, no acumulado do ano, os primeiros nove meses do ano representam um novo recorde, tendo sido registado mais de 21 milhões de hóspedes, mais 7% do que no ano passado. Estes dados sugerem assim que 2019 será um novo ano de recordes no turismo em Portugal.

 

E não é apenas em hóspedes. Os proveitos dos estabelecimentos turísticos seguem o mesmo comportamento: o mês de setembro foi menos rentável do que agosto, mas mais do que há um ano. E no acumulado do ano, os proveitos totais já ascendem a 3,45 mil milhões de euros, superando em 7% os valores de 2018 e estando a apenas 535 milhões dos 12 meses do ano passado.

 

O INE adianta ainda que, em setembro, "o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 66,0 euros, o que se traduziu num aumento de 1,2% (+1,7% no mês anterior), e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 97,5 euros, mantendo o crescimento registado no mês anterior (+3,0%)."




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI