Bolsa Galp afunda 4% e leva PSI-20 para mínimos de ano e meio

Galp afunda 4% e leva PSI-20 para mínimos de ano e meio

A bolsa nacional negociou esta quinta-feira em mínimos de Abril de 2017 com as queda da Galp Energia a pesar.
Galp afunda 4% e leva PSI-20 para mínimos de ano e meio
Pedro Catarino/CM
Tiago Varzim 11 de outubro de 2018 às 16:40
O PSI-20 tropeçou 0,82% para os 4.994,35 pontos esta quinta-feira, dia 11 de Outubro, num dia em que a Europa está pintada de vermelho. A bolsa nacional negociou em mínimos de ano e meio, penalizada pela queda de 4% da Galp Energia. O sector europeu da energia é dos que mais desvaloriza na sessão de hoje depois da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) ter cortado as estimativas da procura de petróleo

O principal catalisador da queda dos mercados está a ser o petróleo. A cotação do barril já tinha caído ontem e volta a negociar em baixa ao registar neste momento quedas na ordem dos 2% tanto em Londres como em Nova Iorque. Consequentemente, o sector energético é dos que mais penaliza as bolsas europeias ao deslizar quase 3%, acompanhado pelos sectores da banca e dos serviços financeiros. 

Em causa está a expectativa da OPEP face à evolução da procura do petróleo. O crescimento económico mais fraco e o aumento da produção dos seus rivais, em particular dos produtores norte-americanos de petróleo de xisto, levou a corte na previsão para a procura. Recentemente, o petróleo tinha atingido máximos de quatro anos, pelo que esta tendência descendente pode ser interpretada como uma correcção. Além disso, o furacão Michael nos EUA, consoante a dimensão que atinja, poderá também colocar em causa a procura por combustíveis.

Esse efeito também chegou à bolsa nacional. A Galp Energia caiu 3,97% para os 15,85 euros, atingindo mínimos de Junho deste ano. O grupo EDP é também um dos que mais desvalorizou nesta sessão: a EDP Renováveis caiu 2,53% para os 8,09 euros e a EDP deslizou 1,91% para os 3,08 euros. 

A revisão em baixa das avaliações dos bancos de investimento sobre o sector do papel nos Estados Unidos continua a penalizar as acções da Altri. A cotada desvalorizou 4,6% para os 7,46 euros, depois de ontem ter caído cerca de 11%. As acções da papeleira negoceiam em mínimos de Maio deste ano. 

Por outro lado, a Navigator e a Semapa (que detém uma posição na Navigator) subiram mais de 6%. Em causa está a decisão do Departamento do Comércio dos EUA de baixar a taxa anti-dumping final para 1,75%, que será aplicada retroactivamente nas vendas de papel para os EUA para o período compreendido entre Agosto de 2015 e Fevereiro de 2017. A Navigator subiu 6,67%, a maior subida desde Janeiro de 2015. 

"A bolsa portuguesa terminou a sessão de hoje em baixa, ainda que com perdas bastante inferiores às registadas pelos mercados europeus", consideram os analistas do BPI, no comentário do fecho. Neste momento, o Stoxx 600 perde 1,98% para os 359,67 pontos, negociando em mínimos do final de 2016. 

(Notícia actualizada pela última vez às 16h55)



pub