Bolsa Nada parece travar a escalada de Wall Street. Alphabet já vale um bilião

Nada parece travar a escalada de Wall Street. Alphabet já vale um bilião

As bolsas do outro lado do Atlântico fixaram novos máximos históricos na sessão de hoje, à semelhança do que tem acontecido sucessivamente nos últimos tempos. As tecnológicas e as cotadas do setor financeiro deram gás ao movimento de subida, numa altura em que estão a ser reportados resultados trimestrais que agradam ao mercado. E a Alphabet já é uma "trillion-dollar baby".
Nada parece travar a escalada de Wall Street. Alphabet já vale um bilião
Reuters
Carla Pedro 16 de janeiro de 2020 às 21:08

O Dow Jones encerrou a subir 0,86% para 29.280,24 pontos – depois de durante a sessão ter estabelecido o valor mais alto de sempre, nos 29.300,32 pontos.

 

Por seu lado, o Standard & Poor’s 500 terminou a jornada a somar 0,75% para 3.316,81 pontos, após ter fixado na negociação intradiária um novo recorde – nos 3.317,11 pontos.

 

Também o tecnológico Nasdaq Composite negociou no verde, fechando a valorizar 0,98% para 9.357,13 pontos. Poucos minutos antes tinha marcado um novo máximo histórico, nos 9.357,92 pontos.

 

Os principais índices bolsistas norte-americanos continuam assim, diariamente, a entrar em território nunca antes explorado, com recordes atrás de recordes.

 

Ainda impulsionados pela tónica positiva da assinatura do acordo comercial de "fase 1" entre os EUA e a China, que ontem teve lugar na Casa Branca, em Washington, na sessão desta quinta-feira também os bons resultados trimestrais estiveram a ajudar a catapultar Wall Street.

 

As cotadas das tecnologias e do setor financeiro lideraram os ganhos, numa altura em que as contas já reportadas agradaram aos investidores.

 

Dentro destes setores, os títulos da banca e das fabricantes de microprocessadores foram os que mais terreno ganharam após reportarem números sólidos relativos ao quarto trimestre de 2019.

 

Foi o caso do Morgan Stanley – que beneficiou ainda das estimativas otimistas que fez para as contas do ano em curso.

 

Também os resultados robustos da Taiwan Semiconductor Manufacturing provocaram um contágio além-fronteiras e ajudaram a animar o setor nos Estados Unidos.

Alphabet, a quarta trillion-dollar baby dos EUA

A grande vedeta do dia foi a Alphabet - casa-mãe da Google -, que pela primeira vez atingiu o estatuto de "trillion-dollar baby". Fechou a subir 0,76%, para 1.450,16 dólares por ação, e com uma capitalização bolsista de um bilião de dólares.

Em agosto de 2018, a Apple foi a primeira cotada norte-americana a valer um bilião de dólares. Depois disso, o valor em bolsa de mais duas empresas dos EUA, também elas tecnológicas, foi igualmente escrito com 13 dígitos: Amazon e Microsoft.

 

Hoje juntou-se a Alphabet a esta lista, o que a torna na quarta empresa norte-americana a atingir um valor de mercado de um bilião (1.000.000.000.000) de dólares.

Mercado atrativo

 

"O setor do consumo está verdadeiramente em boa forma. Depois, quando se contabiliza também o alívio das tensões comerciais entre os EUA e a China, o mercado torna-se um bom local para investir", comentou à Bloomberg o estratega sénior de mercados da LPL Financial, Ryan Detrick.

 

Hoje o Senado norte-americano aprovou o acordo de comércio livre delineado essencialmente por Donald Trump para os EUA, México e Canadá – e que vem substituir o antigo NAFTA.

 

Isto no mesmo dia em que foram juramentados como membros do júri os senadores que irão avaliar o processo de "impeachment" que visa destituir o presidente dos Estados Unidos - mas sem grande influência no sentimento dos investidores, uma vez que o Senado é de maioria republicana.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI