Bolsa PSI-20 em queda com Altri a disparar mais de 10% e CTT a afundar mais de 7%

PSI-20 em queda com Altri a disparar mais de 10% e CTT a afundar mais de 7%

A bolsa nacional está a desvalorizar pela primeira vez em nove sessões, com os CTT em ex-dividendo. Os títulos já atingiram um novo mínimo enquanto a Altri alcançou um novo máximo.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 16 de maio de 2018 às 08:20

A bolsa nacional abriu em queda ligeira esta quarta-feira, 16 de Maio, interrompendo uma série de oito sessões consecutivas de ganhos, a mais longa série de valorizações desde Setembro do ano passado.

Nesta altura, o PSI-20 desce 0,18% para 5.689,47 pontos, com sete cotadas em queda, oito em alta e três inalteradas.

Na Europa, os principais índices seguem igualmente em baixa ligeira, com o mercado a reflectir preocupações com a falta de progressos nas negociações entre a China e os Estados Unidos e com o potencial escalar da tensão com a Coreia do Norte, depois de Pyongyang ter ameaçado cancelar a cimeira entre Kim Jong-un e Donald Trump.

Em Lisboa, as perdas estão a ser motivadas sobretudo pelos CTT, que descem 7,53% para 2,998 euros, no dia em que os títulos começaram a negociar sem direito ao dividendo de 38 cêntimos. As acções já desvalorizaram um máximo de 9,62% para 2,93 euros, a cotação mais baixa de sempre.

Do lado das quedas estão ainda a Semapa e todas as cotadas do sector da energia. A Semapa, que apresenta os seus resultados trimestrais após o fecho do mercado, cai 1,73% para 19,30 euros.

Os analistas do BPI estimam vendas no valor de 557 milhões de euros, um EBITDA de 125 milhões e uma queda de 42% dos lucros para 25 milhões de euros. 

Na energia, a Galp recua 0,44% para 17,005 euros, a REN perde 0,60% para 2,634 euros e a EDP desce 0,49% para 3,423 euros. Já a EDP Renováveis desliza 0,19% para 8,06 euros.

Os títulos da EDP permanecem, assim, acima do preço oferecido pelos chineses da CTG na OPA anunciada na sexta-feira. Desde esse dia, várias casas de investimento já reviram as suas avaliações para a eléctrica, mas o preço-alvo médio continua abaixo do oferecido na OPA, de 3,26 euros.


Nas subidas destacam-se as acções da Altri, que disparam 10,19% para 7,35 euros, o valor mais alto de sempre. No início desta semana, o CaixaBI elevou o preço-alvo para as acções em 43,3% para 7,60 euros e a recomendação de "acumular" para "comprar".