Dividendos Calculadora dividendos 2018

Calculadora dividendos 2018

A época de pagamento de dividendos já arrancou. Saiba quanto as cotadas vão pagar este ano e calcule quanto pode receber.

A grande maioria das empresas cotadas portuguesas que habitualmente remunera os seus accionistas já revelou quanto vai pagar este ano em dividendos, em relação ao exercício de 2017.

 

A tabela com os valores dos dividendos que as cotadas portuguesas vão pagar está praticamente completa, pois apenas algumas cotadas de dimensão mais pequena ainda não revelaram se vão remunerar os accionistas.

 

Esta altura do ano é assim das mais apetecíveis para muitos investidores, sobretudo os que privilegiam a aposta nas cotadas com os dividendos mais generosos. E este ano os investidores voltam a não ter razão de queixa das cotadas nacionais, já que a grande maioria aumentou a remuneração e são várias as que pagam dividendos com uma rendibilidade superior a 5%.  

 

São sobretudo duas as estratégias seguidas pelos investidores. Há os que apostam no longo prazo nas cotadas que pagam os dividendos mais rentáveis, e também os que privilegiam uma estratégia de caça ao dividendo, entrando na acção pouco antes da data de pagamento, vendendo pouco depois de embolsar a remuneração.

 

CALCULAR OS DIVIDENDOS

 

Para iniciar a análise da estratégia a seguir, fundamental é calcular quanto vai receber com os dividendos das empresas onde é accionista, ou onde pretende investir. Para tal utilize a calculadora do Negócios. Basta introduzir o número de acções para saber o valor que vai receber, já líquido do imposto de 28% (assumindo que não opta pelo englobamento). Se colocar também a cotação da acção, fica a saber a rentabilidade implícita.

 

Faça as suas contas, inserindo quantas acções detém e a sua cotação, caso queira saber qual é a rendibilidade do dividendo: 

 


 

OS DIVIDENDOS MAIS RENTÁVEIS

 

No início de Abril, o Negócios publicou os dividendos mais rentáveis da praça portuguesa, utilizando as cotações registadas na altura. Veja os dividendos de 14 cotadas, ordenados por rendibilidade.

 

 

A IMPORTÂNCIA DO CALENDÁRIO

 

As datas em que as cotadas pagam os dividendos são outro factor fundamental para os investidores. Muitas das cotadas já viram os seus accionistas aprovarem o valor a pagar e estão agora a anunciar as datas em que vão colocar o dinheiro à disposição dos investidores.

 

Foi o fizeram diversas cotadas portuguesas nos últimos dias, sendo que já são conhecidas as datas de pagamento de cinco. A Corticeira Amorim já pagou o dividendo e a EDP já o descontou da sua cotação, sendo que a remuneração da eléctrica chegará à conta dos accionistas na quarta-feira, 2 de Maio.

 

Mais do que a data do pagamento do dividendo, o que é relevante é a data de ex-dividendo, ou seja, quando a acção passa a negociar em bolsa sem direito à remuneração.

 

Vejamos o caso da Jerónimo Martins. A empresa vai pagar o dividendo a partir de 10 de Maio, mas é a 8 de Maio que a acção passa a negociar sem direito à remuneração. Assim, para receber o dividendo da empresa de energia, terá que manter a acção em carteira até ao fecho da sessão de 7 de Maio.

 

Será na sessão de 8 de Maio que a cotação da retalhista vai reflectir o facto de ter entrado em ex-dividendo, pelo que a cotação deverá ajustar m baixa o valor da remuneração. Contudo, o ajuste não é automático e será o mercado a ditar a cotação de abertura da Jerónimo Martins nessa sessão de 4 de Maio.

 

Os investidores de dividendos de curto prazo seguem a estratégia de entrar numa acção antes do período de ex-dividendo, esperar que a cotação não ajuste na totalidade o valor da remuneração e vender o título pouco tempo depois.

 

Daí ser muito relevante estar a par das datas de pagamento de dividendo, que pode conferir no calendário em baixo. Que será actualizado sempre que forem conhecidas novas datas.


Glossário

O que é o dividendo? 

É a fracção dos lucros da empresa cotada que é distribuída aos investidores. Normalmente, quando uma empresa obtém lucros num exercício, distribuiu, no ano seguinte, uma parte desses aos detentores de acções, sendo o valor proposto pelo Conselho de Administração e votado em Assembleia Geral.

  

Quanto pago de imposto? 

A carga fiscal sobre os dividendos está em 28%, sendo o imposto pago na altura em que recebe a remuneração. Pode optar antes pelo englobamento, incluindo este rendimento na sua declaração de IRS, mas esta opção só é favorável caso a sua taxa de imposto seja inferior a 28%.  

 

Qual a diferença entre dividendo complementar e intercalar? 

O dividendo intercalar é aquele que é pago quando ainda decorre o exercício a que este diz respeito. O dividendo complementar é o que é pago no final do período a que se referem os resultados. Em Portugal, a Galp opta por dividir o pagamento do dividendo em duas fases, já lá fora são várias as que pagam em quatro fases (uma por trimestre).

  

O que representa o "dividend yield"? 

Resulta da divisão do dividendo pela cotação e determina a rendibilidade da remuneração. Apresentado em percentagem, este é um importante indicador da atractividade do dividendo devendo ser comparado, especialmente, com o das cotadas do sector. 

 

O que é o "payout"? 

É percentagem dos lucros que a empresa distribui sob a forma de dividendos. Quanto maior é este rácio, mais atractiva é a política de remuneração da empresa aos accionistas. O "payout" pode superar os 100%, caso a empresa distribua um valor superior aos lucros.

 

Como posso ter direito aos dividendos? 

Para ter direito aos dividendos, terá que ter na sua carteira os títulos antes da data do destaque dos dividendos. As acções entram em ex-dividendo três dias úteis antes da data de pagamento, sendo que para receber os dividendos basta comprar os títulos no dia anterior à data ex-dividendo, podendo os títulos ser vendidos na sessão em que entram em ex-dividendo. 

 

Quando é que recebo os dividendos? 

A remuneração accionista tende a ser feita entre Abril e Maio, sendo anunciado valor a receber pelos investidores aquando da apresentação das contas do último exercício, ou nas semanas seguintes. Os dividendos são creditados na conta bancária do investidor, sendo o valor já líquido de impostos (a menos que o opte pelo englobamento).

 

O que acontece às acções? 

No dia em que as acções entram em ex-dividendo passam a negociar sem direito à remuneração accionista. No mercado, os títulos das empresas ajustam negativamente de forma a reflectir o valor do dividendo. A queda do valor das acções não tem obrigatoriamente que ser na mesma proporção do dividendo, sendo o mercado a determinar qual a cotação das mesmas após o destaque da remuneração.

 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo Há 3 semanas

Quo vadis Portugal? Em 2015, o fisco da Austrália (a Agência Tributária australiana) cortou 4400 postos de trabalho em 19 meses. "Australian Taxation Office axes 4400 jobs in 19 months" http://www.canberratimes.com.au/national/public-service/australian-taxation-office-axes-4400-jobs-in-19-months-20150409-1mhhgq.html

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Entretanto no esquecido e pobrezinho Reino Unido... "HM Revenue & Customs (HMRC) and the Department for Work and Pensions (DWP) would be hardest hit, with 2,451 and 2,231 staff potentially made redundant, respectively, out of a Whitehall-wide total of 6,865 forecast losses. The Department for Transport (DfT) would lose 1,126 employees." www.computerweekly.com/news/450423926/Nearly-7000-civil-service-jobs-at-risk-in-government-as-a-platform-strategy

Anónimo Há 3 semanas

Nos EUA, em plena era Obama, eliminaram 7000 postos de trabalho no fisco local só porque as pessoas fazem tudo àquele referente pela Internet. "IRS will cut 7,000 jobs because the majority of people are filing their tax returns online" http://www.dailymail.co.uk/news/article-3811646/IRS-cutting-7-000-jobs-vast-majority-people-file-tax-returns-online-meaning-fewer-people-needed-process-paper-forms.html

Anónimo Há 3 semanas

Nova Zelândia, Primeiríssimo Mundo, economia e sociedade muito mais rica e desenvolvida do que a tristemente célebre portuguesa: "News broke last year that Inland Revenue was to cut its workforce of 5647 staff to only 3700 people by 2021- almost a third of its workforce – with many of those jobs to go this year. The $1.9 billion business transformation programme is a decade-long shift towards a more digital way of doing business. Around the corner and along the road a bit from where IRD used to have offices in Whanganui, staff at the BNZ will take little comfort in knowing they are not among the 50 staff throughout the country the bank has just announced are about to lose their jobs. More cuts are possible, the bank says, as it adapts to changing times, while across the ditch the bank's parent company is laying off 6000 staff." http://www.nzherald.co.nz/wanganui-chronicle/opinion/news/article.cfm?c_id=1503423&objectid=12031470

Anónimo Há 3 semanas

Quo vadis Portugal? Em 2015, o fisco da Austrália (a Agência Tributária australiana) cortou 4400 postos de trabalho em 19 meses. "Australian Taxation Office axes 4400 jobs in 19 months" http://www.canberratimes.com.au/national/public-service/australian-taxation-office-axes-4400-jobs-in-19-months-20150409-1mhhgq.html

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub