Bolsa Emprego, Fed, resultados e guerra comercial deixam Wall Street em estado de prudência

Emprego, Fed, resultados e guerra comercial deixam Wall Street em estado de prudência

As bolsas norte-americanas abriram em baixa, à conta de vários fatores. Os dados do emprego em julho ficaram abaixo do estimado, o rumo dos juros pela Fed continua incerto, há ainda muitos resultados trimestrais por divulgar e Trump intensificou as tensões comerciais ao anunciar novas novas tarifas aduaneiras sobre produtos chineses.
Emprego, Fed, resultados e guerra comercial deixam Wall Street em estado de prudência
EPA/Lusa
Carla Pedro 02 de agosto de 2019 às 14:33

O Dow Jones segue a ceder 0,24% para 26.520,37 pontos e o Standard & Poor’s 500 recua 0,48% para 2.939,44 pontos.

 

Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite desvaloriza 0,73%, para 8.072,04 pontos.

 

Em julho, houve menos contratações do que o esperado nos EUA, além de que os números ficaram ligeiramente abaixo das expectativas, o que contribui para adensar as dúvidas quanto ao rumo da política monetária da Reserva Federal.

 

Na quarta-feira, o presidente da Fed, Jerome Powell, disse que o corte de 25 pontos base decidido para os juros diretores não indicava necessariamente o início de um longo período de descida da taxa dos fundos federais, o que desanimou as bolsas. No entanto, ontem os dados da atividade industrial foram fracos e hoje o relatório do mercado de trabalho também desiludiu, o que pode fazer com que o banco central se decida por mais cortes de juros.

 

A contribuir para a cautela dos investidores está também o facto de ainda se estar em plena época de apresentação de contas trimestrais.

 

Por outro lado, as incertezas em torno da guerra comercial EUA-China estão a deixar os intervenientes do mercado preocupados, o que os faz acorrer à dívida norte-americana, em detrimento das ações.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI