Taxas de juro UBS vai cobrar taxa aos depósitos dos clientes mais ricos

UBS vai cobrar taxa aos depósitos dos clientes mais ricos

O banco central da Suíça poderá baixar a taxa dos depósitos para -1%, levando as instituições financeiras a transferirem os custos para os clientes mais abastados.
UBS vai cobrar taxa aos depósitos dos clientes mais ricos
Reuters
Negócios 31 de julho de 2019 às 15:41

Há já vários anos que diversos bancos centrais aplicam taxas negativas aos depósitos efetuados pelos bancos. Agora a estratégia está a chegar às grandes gestoras de fortunas.

 

O Financial Times noticia esta quarta-feira que o UBS vai começar a aplicar uma taxa negativa aos depósitos efetuados pelos clientes mais ricos, com volumes acima de 2 milhões de francos suíços.

 

O jornal dá conta que muitos bancos, da Suíça e da Zona Euro, já cobram aos clientes empresariais pelos depósitos de elevado montante, mas têm até agora evitado fazer o mesmo aos clientes individuais.

 

O UBS deverá dar o ponto de partida na mudança entre as grandes gestoras de fortunas. A partir de novembro, segundo três fontes contactadas pelo Financial Times, o banco suíço vai aplicar uma taxa de -0,75% nos depósitos acima de 2 milhões de francos suíços. Quer isto dizer que os clientes afetados vão receber menos dinheiro do que depositaram quando o prazo do depósito terminar.

 

A taxa é igual à que o banco central do país cobra aos depósitos dos bancos. Na Zona Euro a taxa dos depósitos está em -0,4% e deverá baixar mais 10 pontos base em setembro. As taxas negativas foram implementadas por vários bancos centrais na Europa há vários anos como uma medida extraordinária, mas perspetiva-se agora que perdure por mais anos. O banco central da Suíça foi um dos pioneiros na Europa nesta política monetária ultra-expansionista, que tem como objetivo primordial pressionar os bancos a aumentarem o crédito concedido a empresas e famílias.

 

"No ano passados todos pensávamos que as taxas de juro iriam subir. Agora não parece bem assim", diz ao FT um responsável pela unidade de gestão de fortunas do UBS. No caso da Suíça, os economistas estimam que a taxa dos depósitos pode baixar para -1% já em setembro.

 

O UBS confirmou ao jornal britânico que pretende alterar a política da remuneração dos depósitos, uma vez que "o período de taxas baixas vai durar mais tempo" do que o previsto. Bancos de menor dimensão na Suíça já cobram pelos depósitos dos clientes e o Credit Suisse admitiu há dias que está a equacionar avançar com taxas negativas nos depósitos dos clientes mais abastados, cujos saldos bancários estejam na casa dos milhões.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI