Cronista
Diogo Cavaleiro

Viveu dois meses e meio nos anos 80, pelo que só em 2009 chegou às redacções. Nascido na capital, o  estágio na secção Local Lisboa no Público, entre o segundo e o terceiro anos de Ciências da Comunicação da FCSH-UNL, foi a primeira experiência. No Verão seguinte, passou pelo Jornal de Negócios. Um dos primeiros trabalhos foi andar a perguntar aos portugueses o que queriam colocar no Orçamento do Estado para 2011. As respostas devem ter sido interessantes porque pelo Negócios ficou. Tem a tese do mestrado em Estudos Europeus por fazer e a pós-graduação em Compliance por concluir. Nos últimos tempos, passa mais tempo a olhar para os bancos. Perdeu as privatizações bancárias que arrancaram no final dos anos 80 (já se sabe que ainda não andava nestas vidas) mas tem assistido à nova fase do sector.