Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante, faça LOGIN
Camilo Lourenço
Camilo Lourenço 05 de dezembro de 2018 às 21:30

Chutar dívida para as próximas gerações 

O país tem de apostar na amortização rápida de dívida, ainda que isso implique sacrifícios para a geração atual. Mas para amortizar dívida é preciso que o Estado crie poupança. Ou seja, que não esbanje tudo em devoluções rápidas de rendimentos.

O Tesouro português "atirou" para 2023 e 2027 responsabilidades relativas a 1,9 mil milhões de euros de dívida que se vencia em 2019. A troca de dívida (é disso que se trata) faz sentido. É uma forma de o Estado

Conteúdo exclusivo para Assinantes Negócios Premium
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone Assinar por 1€ por 1 mês
Notícias só para Assinantes
Análise, informação independente e rigorosa..
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia.
Notícias e conteúdos exclusivos no website e aplicações móveis
Newsletter diária exclusiva para assinantes
Acesso ao epaper a partir das 22:00
Saiba mais
pub