Cronista
Manuel Falcão Jornalista

Manuel Falcão, jornalista, 54 anos, estudou Medicina, Fotografia, Comunicação, Guionismo e Produção. Fundou o Blitz e o Independente, trabalhou no Expresso, no Sete e na Visão, realizou programas de rádio na RFM, Rádio Clube Português, Antena Um e Antena Dois, foi Director do Centro de Espectáculos do CCB, Presidente do Instituto Português de Cinema, Administrador do Pavilhão Atlântico, Administrador das Ediçõers Valentim de Carvalho, Estúdios Valentim de carvalho e Valentim de Carvalho Televisão, fundador e Presidente da Associação de Produtores Independentes de Televisão, Administrador da EGEAC (empresa municipal de Lisboa na área da gestão de espaços culturais) e Director de Programas do 2º canal da RTP. Actualmente é Director Geral da Nova Expressão-Agência de Meios e trabalha na área de planeamento estratégico de publicidade.  Mantém colaborações regulares na imprensa, nomeadamente no "Jornal de Negócios" e no "Metro".

Manuel Falcão Estamos todos pendurados 15.02.2019 Manuel Falcão
O conflito entre a ADSE e os hospitais privados levanta uma situação curiosa. O Estado quer preços e condições especiais quando usa serviços privados.
Manuel Falcão Os efeitos colaterais das greves 08.02.2019 Manuel Falcão 59
Em que estação do ano estamos? Se disserem Inverno, enganam-se redondamente. A estação do ano em que estamos é o primeiro trimestre pré-eleitoral.
Manuel Falcão Mascarada 01.02.2019 Manuel Falcão 82
Este ano temos três eleições: as eleições para o Parlamento Europeu, as regionais dos Açores e Madeira e, depois, as legislativas nacionais. Para falar claro, isto vai andar num virote.
Manuel Falcão O Barão Negro de Sintra 25.01.2019 Manuel Falcão 54
A RTP2 tem transmitido diariamente uma série muito educativa sobre os meandros dos políticos, dos seus partidos e dos cargos que ocupam no Estado ou por indicação do Estado (também disponível no RTP Play). A série é francesa, chama-se "Barão Negro"
Manuel Falcão O regresso das nacionalizações 18.01.2019 Manuel Falcão 45
Desde que a geringonça chegou ao poder, o Estado mudou de forma substancial: passou a ocupar mais espaço, a ser mais intrusivo na vida dos cidadãos (basta ver a nova legislação sobre acesso do Fisco às contas bancárias), a regressar a sectores de onde tinha saído, a entrar em novos sectores sem se saber porquê.
Manuel Falcão O pagador de promessas 11.01.2019 Manuel Falcão 45
Esta quinta-feira de manhã, ao acordar, olhei para o espelho e sabem o que vi? Apesar da gripe, não foram os olhos um pouco congestionados que me chamaram a atenção; o que vi ao espelho foi um pagador de promessas, um bombo da festa da colecta de impostos, taxas e taxinhas, directos e indirectos.
Manuel Falcão Votar em quem? 04.01.2019 Manuel Falcão 44
Este ano, há duas eleições - as europeias e as legislativas - e confesso que não sei em quem votar nem num caso, nem noutro.
Manuel Falcão O ano de todos os perigos 28.12.2018 Manuel Falcão 61
Quando a geringonça chegou ao poder, proclamou alto e bom som que vinha acabar com a degradação da coisa pública.
Manuel Falcão 2018: O Estado falhou 21.12.2018 Manuel Falcão 44
Esta é a frase que sintetiza o ano que passou. Por mais que António Costa insista em clamar que só tem êxitos, a realidade mostra o contrário sobre o funcionamento do Estado
Manuel Falcão Pela boca morre o peixe 14.12.2018 Manuel Falcão 32
Em Portugal não temos manifestações de multidões vestidas com coletes amarelos e não é por falta de razões: estamos num país onde, qualquer dia, em vez de comboios voltaremos a ter carroças, onde em vez de cacilheiros se utilizarão jangadas

Marketing Automation certified by E-GOI