Joaquim Aguiar Tudo é permitido 09:20 Joaquim Aguiar
E quando não há um poder que seja gerador de confiança, promotor da estabilidade e fator de fiabilidade nas relações internacionais, tudo é permitido.
Ontem
Paulo Carmona A acumulação é revolucionária! 27.01.2020 Paulo Carmona 93
Por cá, custa ter uma extrema-esquerda a defender regimes iliberais, apresentados como modelos para Portugal, em que a dita revolução socialista apenas tem servido para instalar cleptocracias.
Jorge Marrão As promessas de Davos 24.01.2020 Jorge Marrão 62
A separação de poderes entre executivo, legislativo e judicial aumenta o nível de confiança que a sociedade tem nas suas instituições matriciais. O bloqueio de uma relação saudável das arestas deste triângulo prejudica o bem comum.
Álvaro Nascimento Redistribuição da pobreza 24.01.2020 Álvaro Nascimento
Como indivíduos, somos pouco atreitos a confiar em mecanismos sem rosto. Ocorre-nos, então, condenar sumariamente a “mão invisível” dos mercados e clamar pela “determinação” do Estado.
Há 1 semana
Joaquim Aguiar A ilusão das tribos em democracia 21.01.2020 Joaquim Aguiar 20
Há agora um novo modo, menos conhecido mas também eficaz, de destruir a democracia. Consiste em fragmentar a sociedade em tribos de amigos, utilizando os métodos da propaganda amplificados pelas tecnologias das redes sociais
Paulo Carmona Necessitados de realidade 21.01.2020 Paulo Carmona 50
Somos o 20º país mais pobre da União e temos urgentemente de ambicionar crescer o rendimento dos portugueses. Especialmente para suportar um Estado e uma carga fiscal de primeiro mundo.
Joaquim Aguiar As três estagnações 17.01.2020 Joaquim Aguiar
O crescimento potencial da economia portuguesa é baixo, não passando a banda dos dois a três por cento, o que não permite sustentar o aumento da despesa com as políticas sociais nem o investimento em equipamentos e infraestruturas, mesmo em regime de taxas de juro negativas.
Camilo Lourenço O dr. Centeno não lida bem com a verdade 17.01.2020 Camilo Lourenço 388
O dr. Centeno não lida nada bem com a verdade. Se o BCE não estivesse no mercado, desde 2015, a comprar dívida (entre elas a portuguesa), os juros da dívida nunca teriam caído para o patamar em que se encontram hoje.
Há 2 semanas
Paulo Carmona O que faz falta é contratar a malta 14.01.2020 Paulo Carmona 60
E assim temos mais um apoio, um orçamento de continuidade, simpático, que não afronta ninguém, corporações ou interesses instalados e reforçando o peso do Estado e do número dos seus funcionários, em nome do seu rejuvenescimento.
Joaquim Aguiar Passado contra futuro 13.01.2020 Joaquim Aguiar
Que sejam agora os protagonistas da política americana no presente a promover a ilusão do nacionalismo, a desmantelar as entidades de regulação e supervisão de espaços supranacionais mostra que a ilusão dos iludidos é o outro modo de designar a decadência.

Marketing Automation certified by E-GOI