Paulo Miguel Martins
Paulo Miguel Martins 02 de maio de 2013 às 10:15

Explorar as circuntâncias é um factor vital

Uma circunstância difícil pode originar uma mudança de atitude ou o aperfeiçoamento de uma estratégia.

As circunstâncias surgem, acontecem e impõe-se. São imprevisíveis, imponderáveis e imprevistas. Não dependem da vontade dos agentes envolvidos. O que cada um pode controlar e dominar é a reacção perante esse factor. O que realmente conta é o "como" enfrentar as circunstâncias e as acções que se tomam para as ultrapassar.


Em primeiro lugar é preciso avaliá-las como adversas ou favoráveis. Em ambos os casos, devem ser aproveitadas. Uma circunstância difícil pode originar uma mudança de atitude ou o aperfeiçoamento de uma estratégia que permite até superar o plano inicial. Noutras ocasiões, um "imprevisto" pode indicar uma falha que ao ser logo detectada e corrigida, abre caminho para o resultado planeado.

 

É útil analisar o contexto das circunstâncias e o que elas demonstram, representam e significam.

De igual modo, as circunstâncias favoráveis podem potenciar iniciativas que ganham ainda maior dimensão, tirando partido de sinergias de outras actividades que se vão unindo e conjugando para alcançarem o objectivo traçado.


Em segundo lugar, é útil analisar o contexto das circunstâncias e o que elas demonstram, representam e significam. Saber "ler e percepcionar" o que acontece permite uma melhor adequação de uma acção à realidade concreta. Nessa análise é essencial diferenciar o "emocional" do "racional", utilizando ferramentas válidas que indiquem o que realmente se passa e só a partir daí, decidir e agir correctamente.


Os dois filmes seleccionados apresentam desafios que começam em circunstâncias difíceis. No entanto, tirando o máximo partido dessas mesmas condições e das oportunidades que criam, acabam por vencer! Vale a pena aproveitar estas lições!

 

 

 

 

"Regra de silêncio"

 

 

 

 

 

Realizador Robert Redford
Actores Shia LaBeouf, Julie Christie
Duração 121 min.
Ano 2012

 

 

 

  

Um advogado bem sucedido, já viúvo com uma filha adolescente, vê de repente toda a sua vida posta em causa. Uma colega sua de há 30 anos atrás é presa pelo FBI, por crimes cometidos enquanto ambos faziam parte de um grupo radical dos anos 70 contra a guerra do Vietname. Ela decidira entregar-se. Lutara por causas que considerara nobres, mas matara gente inocente. Agora quer acertar contas com a sua consciência e defender esses ideais por meios legítimos. No entanto, o seu gesto vai afectar os restantes membros do grupo, alguns dos quais sem culpa nos assassinatos. Todos eles vivem bem e com as vidas refeitas. Uns preferem ignorar o que se passa mas este advogado quer explicar tudo e provar a inocência de alguns, como é o seu caso. Para isso, precisa do testemunho dos outros colegas.


Um jornalista e a polícia iniciam as pesquisas e lançam-se em busca dos vários elementos do grupo. Por sua vez, ele também tenta contactar e convencer os antigos colegas a resolver tudo. O cerco aperta-se. Decide então agir com firmeza. Traça um plano. Confronta os amigos com a realidade do passado e a actual situação. Continuar a viver uma "farsa" é insuportável. Tenta esclarecer como seria "libertador" desvendar tudo e não serem "apanhados" a medo. Mostra-lhes o que está a acontecer e consegue.

 

 

Três tópicos de discussão
 Analisar as circunstâncias é útil pois dá pistas sobre as decisões a tomar.
 Ultrapassar um imprevisto estimula a descoberta da solução mais correcta.
 Uma circunstância que se altera pode pôr fim a situações de impasse.

 

 

 

 

"Não"

 

 

 


Realizador Pablo Larraín
Actores Gael Garcia Bernal, Alfredo Castro
Duração 118 min.
Ano 2012

 

 

 

 

 

Em 1988 o presidente Pinochet do Chile convoca um referendo perguntando "Sim" ou "Não" à continuação do seu regime. O filme retrata o papel de um dos principais responsáveis pela campanha do "Não". Trata-se de um jovem que trabalha numa empresa publicitária com experiência. A circunstância do acto eleitoral apanha muitos de surpresa. O jovem criativo vai então aplicar à campanha um tom de vitória e não torná-la numa simples denúncia das injustiças de um poder autoritário. Dentro da sua plataforma política encontra grande oposição mas a todos responde que analisara o contexto social e tivera em conta a "percepção" do momento. O objectivo é ganhar e não um mero ajuste de contas com o passado. Sabe que um discurso para um público amplo e generalista, deve conter uma mensagem a apelar mais à "emoção" do que à "razão". Quer responder aos reais interesses das pessoas e investiga quais são. Defende os seus pontos de vista com dados concretos. Faz uma avaliação constante da estratégia seguida para dar resposta ao que as diversas conjecturas lhe solicitam.


A sua vida pessoal está em crise. As relações com alguns colegas não são das melhores. Há invejas e disputas. No entanto, tira força dessas circunstâncias. Empenha-se no que acredita e acredita no que faz. No final, a vitória leva a sua marca!

 


Três tópicos de discussão
 Novas circunstâncias podem revelar novas potencialidades desconhecidas.
 Analisar bem as circunstâncias, clarifica os vários dados de uma questão.
 As circunstâncias ajudam a orientar a estratégia adequada a cada momento.

 

 

pub

Marketing Automation certified by E-GOI