Pedro Fontes Falcão
Pedro Fontes Falcão 10 de outubro de 2018 às 18:56

A obra de Ronaldo e a pessoa Ronaldo

A obra de Ronaldo é fabulosa, a nível desportivo, com uma lista de recordes e títulos que não cabem no espaço deste meu artigo, sendo que este ano se espera (esperava?) que culmine com a sexta Bola de Ouro.

Começo por uma pequena história. Imaginemos o quadro XPTO do pintor ABC, que no ano passado tinha sido considerado pela generalidade da crítica conhecedora como o melhor quadro de sempre. Este ano, o senhor ABC foi acusado de um crime grave. O seu quadro deixa de ser considerado como o melhor do mundo e ninguém o quer comprar. Mas pouco depois, descobre-se que ele não é culpado e o quadro passa a ser muito cobiçado de novo com valores de avaliação milionários. Uns meses mais tarde, surgem uns rumores de que o senhor ABC cometeu outro crime grave. O valor da obra cai drasticamente. Mas esperem, no dia seguinte soube-se que os rumores eram sobre outro pintor famoso e o quadro XPTO volta a ter um valor elevadíssimo... Não parece que isto faça sentido…

 

A obra de Ronaldo é fabulosa, a nível desportivo, com uma lista de recordes e títulos que não cabem no espaço deste meu artigo, sendo que este ano se espera (esperava?) que culmine com a sexta Bola de Ouro, mais um recorde mundial de Ronaldo. A sua obra teve um impacto muitíssimo positivo sobre a imagem e a popularidade de Portugal em muitos países. Não me parece que alguma vez se possa minimizar, pois é boa demais e orgulha muito a (quase) totalidade dos portugueses.

 

Obviamente, Ronaldo também é o ídolo de muitos adultos e crianças. Neste caso, a pessoa Ronaldo já é também relevante, pois podem idolatrar-se pessoas extraordinárias a vários níveis, mas a sua reputação como pessoa não deve ser negativa. No caso de se confirmar o crime de violação (sendo Ronaldo inocente até prova em contrário), deve "destruir-se" a pessoa Ronaldo perante os adultos e, mais importante, perante as crianças? Ou pode aproveitar-se para (caso se prove o crime) ensinar as crianças que o Ronaldo ajudou muitas pessoas que necessitavam (geralmente sem que fosse propagandeado), treinou sempre mais do que os outros, passou muitas dificuldades quando era mais novo, viveu longe da família para perseguir o seu sonho e é um superdesportista, mas que, mesmo sendo o melhor do mundo, não lhe dá o direito a agredir outros. Que na escola, o facto de seres o melhor aluno da turma, o mais simpático, o mais estudioso e/ou o melhor desportista deve ser louvado e deves sentir orgulho nisso, mas que isso nunca te "suba à cabeça" e te faça pensar que podes bater nos teus colegas, ofendê-los e/ou humilhá-los. É de pequenino que se torce o pepino.

 

Obviamente, cada um fará como entender melhor…  

 

Gestor e docente universitário

 

Artigo em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

pub