Cronista
Celso Filipe Diretor-adjunto

Nasceu em 1964 e é atualmente diretor-adjunto do Jornal de Negócios. Frequentou o 4.º ano do curso de Comunicação Social da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Começou a atividade como jornalista em 1986 na revista “África Hoje”, tendo depois transitado para a “África Confidencial”, uma publicação de circulação reservada a assinantes. Como jornalista passou depois pelos semanários “Tempo”, “Semanário” e “Expresso”. Entre 1995 e 2005 esteve no “Diário Económico” onde desempenhou as funções de editor e chefe de redação. Entre 1998 e 1999 colaborou na Rádio Renascença com um comentário semanal sobre assuntos económicos. Em 2006 entrou no Jornal de Negócios como editor da secção de empresas.

Celso Filipe As pancadas de Molière 09.10.2019 Celso Filipe
As reuniões do PS com a esquerda produzem o mesmo efeito das pancadas de Molière, anunciam aos portugueses o início do espetáculo de formação do governo e são um teste à capacidade de improvisação de António Costa.
Celso Filipe Não seja por falta de aviso 07.10.2019 Celso Filipe
As eleições legislativas de domingo trouxeram um dado absolutamente inédito: o próximo Parlamento será o mais numeroso de todos, na história da nossa democracia, em termos de representação política. No conjunto irão ter assento no hemiciclo nove forças partidárias, sendo que o Chega, a Iniciativa Liberal e Livre irão fazer a sua estreia em São Bento.
Celso Filipe A refundação do capitalismo 01.10.2019 Celso Filipe
Winston Churchill disse um dia que a democracia era a pior forma de governo à exceção de todas as outras. Este mesmo princípio é aplicável à forma como o capitalismo está para a economia, ou seja, é a pior forma de organização à exceção de todas as outras.
Celso Filipe O petróleo sem bons nem maus 30.09.2019 Celso Filipe
A relevância de o mundo diminuir a sua dependência em relação aos combustíveis fósseis não é apenas uma ambição de natureza ambientalista. É também uma questão com outros dois vértices relevantes: o da segurança e o da economia. Os acontecimentos recentes no Médio Oriente enfatizam esta necessidade.
Celso Filipe Tancos um e dois 29.09.2019 Celso Filipe
O caso Tancos merece, no mínimo, ser avaliado de duas perspetivas, uma de natureza política e outra militar. Além, claro está, da componente criminal e da culpabilidade das 23 pessoas constituídas arguidas, matéria que competirá aos tribunais decidir.
Celso Filipe Donald Lindbergh  25.09.2019 Celso Filipe
O pedido feito pelo Partido Democrata de uma investigação formal visando a destituição de Trump é natural, tal como parece evidente que o mesmo está condenado ao fracasso, devido ao facto de o Partido Republicano ter a maioria no Senado.
Celso Filipe O pior Dinesh é o que não vê 23.09.2019 Celso Filipe
A cimeira do clima promovida pela ONU e a pressão crescente da sociedade são essenciais para que o combate às alterações climáticas se torne um ponto urgente na agenda dos governos e remeta figuras como Dinesh para a dimensão do ridículo, a única em que têm cabimento.
Celso Filipe As causas e as consequências 19.09.2019 Celso Filipe
Face ao crescimento do PAN, alguns opinadores (Pacheco Pereira, por exemplo) vieram atribuir responsabilidades aos jornalistas, considerando que estes estão a levar o PAN ao colo.
Celso Filipe A política com fronteiras 17.09.2019 Celso Filipe
Após o debate entre Rui Rio e António Costa elogiou-se a competitividade do primeiro e a segurança do segundo. Uns deram uma vitória tangencial ao líder do PSD, outros consideraram que o combate político se saldou por um empate técnico.
Celso Filipe Lágrimas de crocodilo 16.09.2019 Celso Filipe
David Cameron quis o referendo para se legitimar politicamente. Os britânicos trocaram-lhe as voltas e censuraram-no através de um referendo. Ou seja, ele fez exatamente o mesmo que Johnson, usou o Brexit para o ajudar na sua carreira política.

Marketing Automation certified by E-GOI