Alexandra  Machado
Alexandra Machado 15 de maio de 2019 às 21:50

E se de repente lhe oferecerem um pré-pago?

Desconfie se alguém lhe oferecer um telemóvel igual ao seu, mas com um cartão pré-pago. É pelo menos esta uma das razões que levaram Fabiana Abdel-Malek, 36 anos, ex-gestora do UBS, a tribunal, juntamente com um amigo e investidor nos mercados acionistas, por "insider trading" (utilização de informação privilegiada).

Fabiana Abdel-Malek foi esta quarta-feira, 15 de maio, ouvida em tribunal, no qual argumentou ter sido uma "coincidência" o facto de o seu amigo investidor e corréu lhe ter dado um telemóvel exatamente do mesmo modelo do que tinha ao serviço da UBS.

 

Mas o telemóvel, afinal, tinha uma diferença. Integrava um cartão pré-pago, sem qualquer contrato. O amigo Walid Choucair deu-lhe o telemóvel, pedindo-lhe que só o contactasse através desse equipamento.

 

Fabiana nega que os telemóveis fossem propositadamente do mesmo modelo. Reconhecendo que achou estranho o pedido, acedeu porque foi Choucair quem lhe pediu para usar apenas aquele telemóvel.

 

Os dois enfrentam acusações de utilização de informação privilegiada. Fabiana daria ao amigo informação confidencial que obtinha na UBS. A acusação refere que tal aconteceu entre junho de 2013 e junho de 2014. Abdel-Malek foi, ainda assim, considerada pela UBS uma trabalhadora "exemplar".

pub

Marketing Automation certified by E-GOI