Anteontem
Nuno Carregueiro Do Boletim de Cotações à DMIF 22.11.2017 Nuno Carregueiro
Os muros que se continuam a construir entre os grandes e os pequenos investidores só contribuem para afastar os já poucos que ainda olham para a bolsa portuguesa. Que já é bem menos interessante do que há 20 anos.
Há 1 semana
Rui Peres Jorge Na economia, a geringonça já está safa. E nós? 15.11.2017 Rui Peres Jorge 77
Já só uma hecatombe travaria a que se prepara para ser a legislatura com o maior crescimento desde a entrada no euro. Sendo natural que o Governo e os partidos que o suportam estejam satisfeitos, isso não significa que tenham conseguido pôr em marcha as alterações de que Portugal precisa. Longe disso.
Há 1 mês
Rui Peres Jorge Longa vida ao Pedro Romano 20.10.2017 Rui Peres Jorge 77
O que mais apreciava no Pedro era a sua capacidade de desenvolver um quadro de análise e de pensamento autónomo, partilhando textos e ideias como desafios honestos às suas ideias e às dos outros. Perdemo-lo e ficámos-lhe em dívida. Talvez a possamos ir pagando exercitando a curiosidade, o pensamento livre e a exigência na promoção dos melhores.
Rui Peres Jorge Costa precisa de um plano de resgate para áreas ardidas (e com folga de Bruxelas) 18.10.2017 Rui Peres Jorge 62
O OE passa ao lado da catástrofe, mas ainda há tempo para emendar o erro. Do Governo e de Bruxelas não se espera menos que um plano de emergência para recuperação das áreas ardidas. Afinal, se tivemos tantos milhares de milhões para resgatar bancos, será com certeza possível encontrar umas centenas de milhões para resgatar as regiões afectadas por um desastre desta dimensão.
Há 1 mês e 3 semanas
Visto por Dentro Um guia económico para uma direita perdida 03.10.2017 Rui Peres Jorge 61
Sem a troika e sem a crise, Pedro Passos Coelho não conseguiu formular uma ideia clara para o desenvolvimento do país. Seja qual for a liderança que emergir dos escombros eleitorais, poderá contar com uma preciosa e inesperada ajuda de um plano de reforma de direita que será apresentado no final de 2018.
19.09.2017
Rui Peres Jorge Standard & Poor's: a surpresa que já chega tarde 19.09.2017 Rui Peres Jorge
A decisão de tirar Portugal do “lixo” já era defensável desde o final do programa de ajustamento em 2014. As agências de “rating”, mais do que definidoras de uma tendência, são antes seguidoras dos sinais que vão emanando dos mercados.
18.08.2017
Rui Peres Jorge Portugal, uma cobaia europeia na banca 18.08.2017 Rui Peres Jorge 95
O laboratório português revela que os "bail-ins" também têm um lado negro, nomeadamente sobre as PME; mostra que a linha vermelha das perdas para os credores parece está a ser traçada nos obrigacionistas seniores; lembra que os abusos dos bancos continuam a vir bater à porta dos contribuintes; e, finalmente, atesta que vale a pena explorar e desafiar os limites das regras europeias, que são mais flexíveis do que por vezes nos dizem. Haja engenho e vontade política.
10.08.2017
Visto por Dentro E se Vieira da Silva fosse para o Eurogrupo? 10.08.2017 Rui Peres Jorge 27
A Europa ficará melhor servida se o aperfeiçoamento da arquitectura do euro andar a par com políticas que acautelem as dimensões social e económica da união. Só assim se encontrarão respostas coerentes para os desafios do envelhecimento, da imigração, da baixa produtividade, da feroz concorrência global.
07.07.2017
Rui Peres Jorge Cativações da despesa, o início da "silly season" 07.07.2017 Rui Peres Jorge 148
Enfim, gostaria que em vez de se concentrarem nos 2,4% da despesa que dizem respeito a cativações e à dotação provisional, o debate e o interesse dos parlamentares se focasse na criação de mecanismos que garantam exigência e eficiência na gestão dos restantes 97,6%. Seria bom, talvez depois do Verão.
26.05.2017
Rui Peres Jorge Bruxelas também quer virar a página da austeridade 26.05.2017 Rui Peres Jorge 28
Não é fácil dizer que se vira a página da austeridade ao mesmo tempo que se obtém um dos maiores excedentes primários da Zona Euro. Fazê-lo com a economia e o emprego a crescer parece até uma manifestação da famosa "consolidação orçamental amiga do crescimento". Com este desempenho Centeno ainda acaba no Eurogrupo.